Sobre Paulínia

Cidade de Paulínia

Paulínia é uma cidade brasileira no interior do estado de São Paulo. Pertencente à mesorregião e microrregião de Campinas, localiza-se a noroeste da capital do estado, distando desta cerca de 119 quilômetros. Ocupa uma área de 139 km² e sua população em 2010 pelo IBGE em 82.150 habitantes. Está localizado no eixo Rio-São Paulo, servindo de elo entre a Grande São Paulo e cidades da região, como Cosmópolis, Artur Nogueira e Conchal.

A Cidade de Paulínia foi emancipado do município de Campinas no ano de 1964. O nome é uma homenagem a José Paulino Nogueira, um fazendeiro conhecido na região de Campinas, que emprestou seu nome à estação ferroviária ao redor da qual se desenvolveu o município. É conhecido por sediar o maior polo petroquímico da América Latina, centrado na Refinaria de Paulínia (Replan).

Graças à Replan e a esse polo petroquímico, que estão sediados na região norte da cidade, Paulínia tem a sétima maior renda per capita do Brasil. Também graças ao polo, tem altos níveis de poluição por ozônio, principalmente no distrito de Betel e na região da Replan, onde se encontram empresas como: Rhodia, Purina, Shell e Petrobras. A cidade se destaca pelo intenso crescimento populacional, sendo o maior da Região Metropolitana de Campinas.

O município é formado pela cidade de Paulínia e pelo distrito de Betel, na região leste. Paulínia faz parte do chamado Complexo Metropolitano Estendido, que ultrapassa os 29 milhões de habitantes, aproximadamente 75% da população do estado de São Paulo inteiro. As regiões metropolitanas de Campinas e de São Paulo já formam a primeira megalópole do hemisfério sul, unindo 65 municípios que juntos abrigam 12% da população brasileira.

Origens

Durante o século XVIII, a região de Campinas começou a ser ocupada devido à passagem das rotas bandeirantes que dirigiam-se às minas de ouro no interior do Brasil. O povoamento se iniciou mais precisamente no período entre 1739 e 1744, quando o capitão Francisco Barreto Leme do Prado chegou na então Freguesia Nossa Senhora de Conceição de Campinas.

A história de Paulínia como aglomerado urbano tem início com a doação de sesmarias pelo governo português. Na região dos rios Atibaia e Jaguari há relatos da doação de duas grandes sesmarias que se localizavam onde atualmente se encontra a cidade, uma em 1796 e outra, chamada sesmaria Morro Azul, que foi doada em 1807. Dessa última se originou as fazendas São Bento, adquirida pelo Comendador Francisco de Paula Camargo, e a do Funil. Ambas têm uma grande ligação com o surgimento da cidade de Paulínia. Oficialmente Paulínia foi fundada em 16 de julho de 1906, por José Seixas de Queiróz.

A população paulinense foi formada principalmente por imigrantes italianos, que substituíram os escravos que trabalhavam nas fazendas após a abolição da escravatura, em 1888. Atualmente a cidade é o destino de muitos imigrantes de cidades vizinhas e de outras partes do Brasil, especialmente nordestinos, que procuram melhores condições de vida.

De distrito a município

Paulínia permaneceu durante vinte anos como distrito de Campinas. Durante esse período o desenvolvimento agrícola e industrial atingia toda a região, principalmente com a instalação da Rhodia na Fazenda São Francisco em 1942. Esse fato representou o aumento da arrecadação de impostos para Campinas. Em meados dos anos 1950, um funcionário aposentado da Assembleia Legislativa de São Paulo, José Lozano Araújo, fundou a associação Amigos de Paulínia e iniciou um movimento pela emancipação de Paulínia. O movimento culminou com a realização de um plebiscito em 6 de novembro de 1963, que determinou a emancipação. Em 28 de fevereiro de 1964 foi publicada a Lei 8092, criando o município de Paulínia.

As primeiras eleições ocorreram em 7 de março de 1965, tendo sido eleito José Lozano Araújo. José Lozano fez grandes obras na cidade e foi o principal responsável pela instalação da Replan na cidade, pois doou o terreno e a isentou de impostos por vinte anos. A refinaria transformou Paulínia em um centro de atração populacional, passando de 6,9 mil habitantes em 1972 para 28.620 habitantes em 1973, triplicando o número de habitantes.

História recente
Região central de Betel, anexada em 1993.

A história recente de Paulínia é marcada por um grande desenvolvimento econômico, crescimento urbano e populacional. A partir da década de 1980, quando foi inaugurado o hospital municipal, muitas obras foram sendo realizadas para aumentar a capacidade de atendimento de alguns serviços. Em 1981, o então prefeito de Paulínia, Geraldo José Ballone, encaminhou para a câmara de vereadores um projeto de lei que criava o hospital municipal. Na época a cidade possuía cerca de 20.753 habitantes, mas a população não tinha um estabelecimento público de saúde na cidade onde pudesse fazer exames e consultas.

Nos anos 1990, grandes obras foram realizadas em Paulínia, entre elas a construção de uma biblioteca virtual, onde os cidadãos têm acesso gratuito a internet, o sambódromo de Paulínia, que é o maior sambódromo coberto do país, além da melhoria dos sistemas viários da cidade.

O intenso crescimento urbano de Paulínia e cidades vizinhas provocaram o efeito da conurbação. Esse efeito é mais forte na divisa de Paulínia com Sumaré, entre os bairros Bom Retiro (Paulínia) e Maria Antônia (Sumaré), na divisa com Americana, entre os bairros Parque da Represa (Paulínia) e Praia Azul (Americana), e na divisa com Campinas, entre os distritos de Betel e Barão Geraldo. Paulínia tem crescimento territorial relevante. Em 1993 anexou o distrito campineiro de Betel através de um plebiscito. Bairros como Granja Coavi, Viacava e partes dos bairros São José, João Aranha e Marieta Dian, que ficam em Cosmópolis e Americana também tendem a serem anexadas por Paulínia.

Economia

Paulínia é a maior potência petroquímica da América Latina, sendo sede da REPLAN, a maior refinaria da Petrobras e do Brasil, além de possuir inúmeros outros estabelecimentos e indústrias do ramo, representando empresas como Transo, Shell, Exxon, Fic, Rhodia, entre outras, que atraídas pela boa infra-estrutura e por vantagens da prefeitura, como a isenção ou diminuição de impostos municipais, se instalaram na cidade. O PIB per capita é bastante elevado, assim como seu Produto interno bruto, que é de R$ 6.734.450 mil, representando assim a 63ª cidade com PIB mais elevado do Brasil. Além do petróleo, Paulínia possui indústrias alimentares e mecânicas. Com o projeto Paulínia Magia do Cinema é previsto um aumento de empresas ligadas ao turismo e ao cinema. No município há 346 estabelecimentos industriais, 1679 comerciais e 1305 de serviços. O setor de serviços foi o que mais empregou em 2009, com 15 454 trabalhadores, seguido pela indústria, que empregou 9 020 pessoas. A força de trabalho formal em Paulínia era de 43.304 pessoas em 2001, a população em idade ativa era de 26 281 e o índice de potencial de consumo era de US$ 2.775,00. O município possui 3 011 unidades locais, segundo dados do IBGE de 2005. O orçamento estimado para 2011 é de R$ 892,1 milhões.

Infraestrutura urbana

Paulínia conta com uma grande infra-estrutura urbana. O serviço de água e esgoto de Paulínia é feito pela Sabesp - Saneamento Básico do Estado de São Paulo. A água consumida pelos habitantes de Paulínia é proveniente do rio Jaguari, na divisa com Cosmópolis, que passa por um tratamento na estação de tratamento de água do município. A cidade também conta com duas importantes fontes de água mineral, uma no bairro Cascata e outra no acesso ao centro da cidade.

A energia elétrica é fornecida pela empresa CPFL, que possui vários centros de distribuição em bairros como Cascata, Bela Vista e Santa Terezinha, além de uma subestação próxima à fazenda São Francisco. Além disso, há várias torres de transmissão, instaladas nos canteiros centrais e calçadas de algumas avenidas, como a Avenida José Padovani e Nelson Prosdócimo.

Paulínia conta com 49 agências e representantes bancários. No município há dois cemitérios, que são o Cemitério Municipal, no centro, e o Cemitério das Palmeiras, no bairro Santa Terezinha, além de dois centros de distribuição dos correios.

Para homenagear a comunidade de moradores desta maravilhosa cidade, o Encontra São Paulo criou o Encontra Paulínia.

Blog do Guia da Cidade de Paulínia

Receba notícias por e-mail
Cadastre-se e receba este blog por email
 

Cidades de SP: Limites - Cidades Vizinhas

Cosmópolis, Holambra, Jaguariúna, Campinas, Sumaré, Hortolândia, Americana e Nova Odessa.

Dados Principais sobre Paulínia

Aniversário: 28 de fevereiro
Fundação :
1906
Gentílico:
paulinense
Area:
139,332 Km ²
População
82.150 hab. (2010)
IDH 0,847 - elevado
Prefeitura Paulínia

Brasão de Paulínia
Brasão de Paulínia

Bandeira de Paulínia
Bandeira de Paulínia

Vídeo sobre a cidade de Paulínia
Veja mais vídeos sobre a Cidade de Paulínia

Mapa Paulínia

 

Moradores ilustres de Paulínia

 

   

  Sobre o EncontraPaulínia
Fale com EncontraPaulínia
Anuncie no EncontraPaulínia
Cadastre sua Empresa no EncontraPaulínia (grátis)
+Seja um Franqueado EncontraBR


Termos EncontraPaulínia | Privacidade EncontraPaulínia


Bandeira de Paulínia